Aviso:

Agora, a oficina online poesia feita de quê? possui um blog próprio http://poesiafeitadeque.blogspot.com/. Estão todos convidados: participem!

sábado, março 31, 2007

Ana Paula Ferraz


Coração lua de vento

vida brisa

fino sopro no corpo ardendo

sai sai sai

Coração relógio do tempo

desponteiriza

os segundos, o momento

vai vai vai

O canto é tarde, me sento

ávida vida, me brisa, por dentro

____________________


Na adega

Céu de vinho

noite de uva

tua, turva

Vida de veludo

festa das salivas

sob o céu das bocas

________________



No seu corpo, harpa

veias vibrantes cordas

notas corporais

pingos águas bailarinas

corpos musicais

Ouço silêncio de sinos

o infinito é sem ritmo

vaga suspensa melodia

voam badaladas de saudade

venta peito, soprar não posso

Desconhecidos são os caminhos do som

Um comentário:

diniz jr disse...

Belo poema o segundo gosto muito de festa das salivas sob o céu da boca , como já tinha notado o renan na crítica